Licitações
Acessibilidade A+ A- C

Licitação da DERSA para as alças da Jacu Pêssego tem 21% de desconto com economia de R$ 16 milhões ao Tesouro Paulista

A DERSA - Desenvolvimento Rodoviário S/A obteve 21% de desconto para a contratação das obras de implantação das duas alças de interligação entre a Nova Radial (Avenida José Pinheiro Borges) e a Avenida Jacu Pêssego.

Obras completam a segunda fase de implantação do Complexo Viário do Polo Institucional de Itaquera, na zona leste da Capital

São Paulo, 22 de outubro de 2012 - A DERSA - Desenvolvimento Rodoviário S/A obteve 21% de desconto para a contratação das obras de implantação das duas alças de interligação entre a Nova Radial (Avenida José Pinheiro Borges) e a Avenida Jacu Pêssego. Os dispositivos integram o conjunto da segunda fase de obras do Complexo Viário do Polo Institucional de Itaquera, na zona leste.

A melhor proposta ofertada pela empresa EIT Engenharia S/A foi de R$ 61,5 milhões. O valor representa desconto de 21% frente ao preço de referência da licitação, de R$ 77,6 milhões. A economia ao Tesouro Paulista é de R$ 16,1 milhões. Junto com a vencedora, participaram da concorrência 17 empresas, 12 delas organizadas em consórcios com duas empresas cada.

O resultado da análise das propostas comerciais foi publicado em Diário Oficial do Estado (DOE) na sexta-feira, dia 19 de outubro. A partir de agora, a licitação entra na fase de análise de recurso administrativo.

Passada esta etapa, os resultado da classificação será publicado para que a vencedora assine os contratos de execução das obras, que tem prazo previsto para início em dezembro de 2012 e término em 15 meses.

Melhorias no tráfego

A implantação dos dois dispositivos faz parte da segunda etapa do empreendimento Complexo Viário Polo Institucional Itaquera.

As novas alças viabilizarão a interligação entre a Nova Radial e a Avenida Jacu Pêssego, os dois principais eixos viários do extremo leste, facilitando o acesso à Marginal Tietê e ao Rodoanel Sul para aqueles que atingem a José Pinheiro Borges.

Os dispositivos também melhorarão a locomoção dos torcedores que passam pela região nos dias de jogos, criando uma alternativa pela Marginal Tietê e Rodoanel Sul (por meio da Av. Jacu Pêssego), aliviando o tráfego na Radial Leste.

A construção da maior passarela de São Paulo, que ligará a ala Norte com a Sul de Itaquera e facilitará a circulação das pessoas que pretendem atingir o Polo Institucional e o estádio, completa a segunda fase do viário. O dispositivo terá extensão de 185 metros, vão livre de 110 metros e seis metros de largura.

A licitação para contratação da empresa que construirá a passagem de pedestres está em andamento. O edital foi publicado em DOE no dia 11 de outubro e a entrega da documentação e das propostas comerciais das empresas interessadas está agendada para dia 11 de novembro.
 
Complexo Viário primeira etapa

Na primeira etapa da obras do viário do Polo Institucional de Itaquera, a execução das obras e serviços foi contratada com desconto de 27,8%, em relação ao valor inicialmente orçado, de R$ 355 milhões. A proposta vencedora foi de R$ 257 milhões, com economia de R$ 97,8 milhões ao Tesouro.

As obras foram iniciadas em agosto de 2012 pelo Consórcio Vizol, formado pela Construtora Oas Ltda e S.A. Paulista de Construções e Comercio,vencedor da licitação. O prazo de conclusão desta fase é de 20 meses e serão realizados os seguintes serviços:

1 - Nova avenida de ligação Av. Norte-Sul entre a Av. Itaquera e a Av. José Pinheiro Borges (Nova Radial) e respectivo conjunto de viadutos;
2 - Nova avenida de ligação entre a Av. Norte-Sul e a Av. Miguel Inácio Cury;
3 - Adequação viária da ligação entre a Av. Miguel Inácio Cury e a Estação Corinthians-Itaquera; e
4 - Adequação viária da Radial Leste nas proximidades da Estação Corinthians-Itaquera, com a implantação de uma via expressa em mergulho (pista subterrânea).
 
O Complexo Viário Polo Itaquera implementará uma nova dinâmica ao bairro, beneficiando diretamente os cerca de 2,4 milhões de habitantes somente do extremo leste da cidade, e os 5 milhões de moradores da região Leste.

Além de melhorar a acessibilidade, o desenvolvimento local poderá equilibrar a relação moradores/postos de trabalho, diminuindo o fluxo de moradores que se deslocam para outras regiões da cidade diariamente para trabalhar e/ou estudar.

Na definição da fonte de recursos do Programa de Desenvolvimento Viário Zona Leste, R$ 345,9 milhões são investimentos do Tesouro do Estado de São Paulo, enquanto a Prefeitura de São Paulo investirá R$ 132,3 milhões. Assim, a região receberá investimentos da ordem de R$ 478,2 milhões.

Assessoria de Imprensa
DERSA - Desenvolvimento Rodoviária S/A
Tel: (11) 3702-8110 a 8116
E-mail: transportes@transportes.sp.gov.br
SECRETARIA ESTADUAL DE LOGÍSTICA E TRANSPORTES