Nova Tamoios
Acessibilidade A+ A- C

Pesquisa da CNT registra salto de qualidade da Rodovia dos Tamoios

Os dados recém-divulgados revelam que a Rodovia dos Tamoios tem pavimento e sinalização considerados ótimos

Pavimento e sinalização foram considerados ótimos em 2014

São Paulo, 22 de outubro de 2014 - A Rodovia dos Tamoios (SP-099) acaba de dar um salto de segurança e qualidade após a entrega da duplicação do trecho de Planalto, e o recapeamento e a nova sinalização no trecho de Serra, de acordo com a Pesquisa CNT de Rodovias 2014, um dos mais importantes levantamentos sobre a situação das estradas brasileiras, realizado anualmente pela Confederação Nacional do Transporte (CNT). Os dados recém-divulgados revelam que a Rodovia dos Tamoios tem pavimento e sinalização considerados ótimos. Na avaliação geral, a Rodovia, antes considerada uma das estradas mais perigosas do Estado, agora é avaliada como boa.

Ao analisar itens importantes para a segurança de uma estrada, como "pavimento", "sinalização" e "geometria", a pesquisa da CNT registrou os avanços na avaliação da Rodovia dos Tamoios desde 2012, quando foram iniciados os trabalhos de duplicação, até sua entrega, em janeiro deste ano.

A CNT avaliou 98.475 km de rodovias brasileiras e destacou uma melhora discreta em sua situação, apesar de ter aumentado em 15,6% a quantidade de pontos críticos, passíveis de acidentes.

A Rodovia dos Tamoios saiu de uma situação ruim, na avaliação de 2011 e 2012, para ser considerada boa em 2014, registrando expressiva melhora em segurança e qualidade após a duplicação do trecho de Planalto pela DERSA - Desenvolvimento Rodoviário S/A. O trecho de 49 km foi entregue duplicado, depois de apenas um ano e oito meses de obras, com investimento de R$ 1,1 bilhão.

Em 2011, antes da inauguração da obra, o trecho de Planalto era uma rodovia com pista única (uma em cada sentido), sem barreiras divisórias, com acessos e retornos em nível, o que reduzia a segurança de motoristas e pedestres. Naquele ano, a pesquisa CNT considerou a estrada ruim na avaliação geral. Os quesitos "Pavimento" e "Sinalização" foram avaliados como regulares e "Geometria", péssimo. Em 2012 (ano de início dos trabalhos de duplicação), a avaliação foi mantida em todos os quesitos pesquisados.

Mas, a partir de 2013, com as obras em andamento, a pesquisa já refletia as melhorias introduzidas no Planalto, e a avaliação da rodovia subiu para regular. Os quesitos "Pavimentação" e "Sinalização" foram considerados bons e "Geometria", regular. A melhora na avaliação, já durante o período de obras, refletiu o sucesso do gerenciamento integral do empreendimento adotado pela DERSA, incluindo o controle da operação rodoviária. Houve melhoras na sinalização, no atendimento ao usuário e mudanças na geometria do traçado, com a suavização de rampas e curvas, por exemplo. Também haverá um ganho importante na "Geometria" na Serra, quando for concluída a duplicação deste trecho, em parceria público-privada conduzida pela Artesp.

A expressiva melhora na avaliação da Tamoios revelada pela pesquisa valida o conceito de gestão integrada adotado pela DERSA, e reflete seu sucesso. Pautada pelo compromisso de entregar as melhores soluções em infraestrutura de transportes e logística, com inovação, eficiência e sustentabilidade, a empresa prima pela reunião e aprimoramento de competências e conhecimento em todas as áreas e empreendimentos em que atua, com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento de São Paulo e do Brasil.

A duplicação tornou a rodovia mais moderna e segura, aumentando sua capacidade em 98%. As obras, entre o km 11,5 e o km 60,5, foram iniciadas em maio de 2012 e a pista duplicada foi entregue em janeiro de 2014.

A Nova Tamoios Planalto possui barreiras de concreto dividindo as duas pistas, telas anti-ofuscantes, acostamentos com 3 metros de largura, retornos e passagens em desnível. O traçado foi aperfeiçoado, com retificação de curvas acentuadas e de rampas íngremes. Todas essas inovações garantem maior segurança para motoristas e moradores dos municípios da região, reduzindo o risco de acidentes, principalmente as colisões frontais. A capacidade viária do Planalto passou de 1.820 para 3.600 veículos por hora.

Foram eliminados todos os cruzamentos em nível na pista. Os retornos e acessos aos municípios são feitos por passagens subterrâneas ou viadutos implantados a cada três quilômetros, aproximadamente. Ao todo foram construídos 23 dispositivos com esta finalidade, além de sete pontes paralelas às existentes nos ribeirões Pantanhão e Canoas, no reservatório de Paraibuna e nos rios Paraibuna e Fartura.

O resultado é uma diminuição de 7:30 minutos no tempo médio das viagens ao longo dos 49 quilômetros que compõem o trecho de Planalto. Isso representa uma economia anual de 700 mil horas já em 2014.

Desde 1969, a DERSA atua na área de engenharia de transportes com o objetivo de ser referência nacional em planejamento, viabilidade, gestão e entrega de empreendimentos e serviços pioneiros e de alta complexidade. O sucesso de sua trajetória iniciada com a construção da Rodovia dos Imigrantes, faz da DERSA, hoje, uma companhia multimodal de engenharia, atuante na área de infraestrutura de transportes, responsável por empreendimentos modernos e inovadores, à frente de seu tempo, como a Rodovia dos Bandeirantes, a Ayrton Senna, a Carvalho Pinto, o Rodoanel Mario Covas - o maior complexo rodoviário do País, a construção do Complexo Viário Polo Itaquera, a duplicação da Nova Tamoios Planalto, a construção da Nova Tamoios Contornos, e, desde 1989, a administração de oito Travessias Litorâneas do Estado de São Paulo. Entre elas, destaca-se a Travessia entre Santos e Guarujá, por onde são transportados cerca de 20 mil carros e caminhões, 10 mil motocicletas, 11 mil ciclistas e mais de 15 mil pedestres, diariamente. Entre ciclistas e pedestres, passam pela Travessia entre Santos - Praça da República e Guarujá - Vicente de Carvalho, onde está instalada a Biblioteca, mais de 18 mil usuários ao dia.