Rodoanel Norte
Acessibilidade A+ A- C

Missão do BID elogia projeto do Trecho Norte do Rodoanel

O banco vai financiar R$ 2 bilhões para a construção da alça que vai fechar o circuito em volta da capital.

Missão do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) deu o primeiro passo para o financiamento de parte das obras do Trecho Norte do Rodoanel, que a DERSA prevê iniciar até o final do ano. O banco vai financiar R$ 2 bilhões para a construção da alça que vai fechar o circuito em volta da capital. O Trecho Norte está orçado em R$ 5,8 bilhões, sendo R$ 4,3 bilhões as obras.

A especialista de transporte do BID, Vera Lucia Vicentini, disse que "o que foi apresentado sobre o que já foi feito no Trecho Sul, meio ambiente, reassentamento de famílias e a obra em si, além da proposta estratégica ambiental e social para o Trecho Norte, têm excelente nível técnico". De acordo com Vera, o BID trabalha e faz financiamento em 26 países em todo o mundo e o que ela viu em São Paulo é muito bom. É esperado que o financiamento seja aprovado até o final de 2011.

A próxima missão do BID, para dar continuidade às tratativas do empréstimo será em maio. O governo paulista contará com carência de quatro anos para iniciar o pagamento do financiamento, e prazo de 20 anos para quitá-lo. "Em junho teremos a licença provisória do empreendimento. Isso vai possibilitar o início da tramitação do edital das obras. A previsão é concluir a licitação por volta de outubro e começar a construção em novembro", explica o presidente da DERSA, Laurence Casagrande.

Este ramal do Rodoanel é o último a ser construído. Vai ligar o final do Trecho Leste, no trevo de intersecção com a Rodovia Presidente Dutra, no município de Arujá, até a Avenida Raimundo Pereira de Magalhães, no início do Trecho Oeste. Vai facilitar o acesso ao Aeroporto Internacional de Guarulhos e cruzar a Rodovia Fernão Dias e a Avenida Inajar de Souza, na zona norte da capital. A previsão é concluir as obras em 2014.

O governo federal vai arcar com um terço do investimento. A verba virá do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2.

O traçado proposto pela DERSA para esse novo trecho, e que consta do Estudo de Impacto Ambiental e do Relatório de Impacto no Meio Ambiente (Eia-Rima) está, neste momento, em análise pelo Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema).