DERSA faz investimento recorde na travessia Santos-Guarujá

Após a reforma das embarcações e também a conclusão dos outros investimentos previstos para 2011, o usuário terá um ganho no tempo de espera na travessia Santos-Guarujá.

Com R$ 91 milhões, sistema terá mais segurança e agilidade após reforma de embarcações, diminuindo o tempo de espera no horário de pico

Com investimentos de R$ 91 milhões para este ano, a DERSA prevê melhorias e agilidade na travessia Santos-Guarujá até dezembro. Serão reformadas 14 balsas que atendem os litorais norte, centro e sul, além da realização de reformas dos estaleiros de Vicente de Carvalho e Guarujá e da Carreira de Iguape, da construção e reforma de gavetas do atracadouro de Santos e da construção de 12 dolfins no litoral Sul e flutuante em Bertioga. Trata-se do maior investimento da DERSA nos últimos quatro anos no sistema travessias. O objetivo é melhorar o serviço prestado e dar maior segurança ao usuário. Em 2010 foram investidos R$ 41 milhões, contra R$ 29 milhões de 2009 e R$ 5,9 milhões do período anterior.

Após a reforma das embarcações e também a conclusão dos outros investimentos previstos para 2011, o usuário terá um ganho no tempo de espera na travessia Santos-Guarujá. Hoje, no horário de pico, de maior movimento, a espera é de 29 minutos em média por causa da reforma. Em dezembro, início do verão e temporada de férias, essa espera baixará para 22 minutos para embarcar. Com o início de operação da terceira gaveta de Santos haverá redução do tempo médio de travessia em 10%. A entrega está prevista para dezembro.

Para 2012 está sendo projetado investimento de R$ 80 milhões no sistema. Isso vai proporcionar, por exemplo, a construção de três balsas com capacidade para 62 veículos, além de duas lanchas para 400 passageiros. A entrega é prevista para novembro de 2012. Essas aquisições irão renovar a idade média da frota de 37 para 28 anos. No próximo ano também serão reformadas três balsas e realizadas obras civis de melhorias no sistema.

Para atender a demanda na travessia enquanto é feito esse trabalho para a certificação e validação, a DERSA transferiu duas embarcações para o trajeto Santos-Guarujá. Trata-se da FB-21, com capacidade para 28 veículos, vinda de Bertioga, e a FB-12, com capacidade para 24 veículos, vinda de Cananéia. Assim, o trajeto continua sendo atendido por sete embarcações nos momentos de pico.

É importante destacar que atualmente está sendo renovado o Certificado de Segurança de Navegação (CSN) das embarcações, que tem validade de quatro anos. Dentro desse período são executadas manutenções programadas e vistorias de rotina. Porém, ao final do período de quatro anos, há a necessidade de um reforma geral das embarcações devido ao ritmo de trabalho a que elas são submetidas e também ao desgaste natural provocado pelo mar.

Com investimentos de R$ 91 milhões para este ano, a DERSA prevê melhorias e agilidade na travessia Santos-Guarujá até dezembro. Serão reformadas 14 balsas que atendem os litorais norte, centro e sul, além da realização de reformas dos estaleiros de Vicente de Carvalho e Guarujá e da Carreira de Iguape, da construção e reforma de gavetas do atracadouro de Santos e da construção de 12 dolfins no litoral Sul e flutuante em Bertioga. Trata-se do maior investimento da DERSA nos últimos quatro anos no sistema travessias. O objetivo é melhorar o serviço prestado e dar maior segurança ao usuário. Em 2010 foram investidos R$ 41 milhões, contra R$ 29 milhões de 2009 e R$ 5,9 milhões do período anterior.

Após a reforma das embarcações e também a conclusão dos outros investimentos previstos para 2011, o usuário terá um ganho no tempo de espera na travessia Santos-Guarujá. Hoje, no horário de pico, de maior movimento, a espera é de 29 minutos em média por causa da reforma. Em dezembro, início do verão e temporada de férias, essa espera baixará para 22 minutos para embarcar. Com o início de operação da terceira gaveta de Santos haverá redução do tempo médio de travessia em 10%. A entrega está prevista para dezembro.

Para 2012 está sendo projetado investimento de R$ 80 milhões no sistema. Isso vai proporcionar, por exemplo, a construção de três balsas com capacidade para 62 veículos, além de duas lanchas para 400 passageiros. A entrega é prevista para novembro de 2012. Essas aquisições irão renovar a idade média da frota de 37 para 28 anos. No próximo ano também serão reformadas três balsas e realizadas obras civis de melhorias no sistema.

Para atender a demanda na travessia enquanto é feito esse trabalho para a certificação e validação, a DERSA transferiu duas embarcações para o trajeto Santos-Guarujá. Trata-se da FB-21, com capacidade para 28 veículos, vinda de Bertioga, e a FB-12, com capacidade para 24 veículos, vinda de Cananéia. Assim, o trajeto continua sendo atendido por sete embarcações nos momentos de pico.

É importante destacar que atualmente está sendo renovado o Certificado de Segurança de Navegação (CSN) das embarcações, que tem validade de quatro anos. Dentro desse período são executadas manutenções programadas e vistorias de rotina. Porém, ao final do período de quatro anos, há a necessidade de um reforma geral das embarcações devido ao ritmo de trabalho a que elas são submetidas e também ao desgaste natural provocado pelo mar.

A DERSA procura combinar o período desta parada de manutenção - que dura aproximadamente cinco meses - exatamente com o vencimento do CSN. É importante destacar que a renovação só é fornecida após a reforma geral da embarcação e da vistoria detalhada por parte da Capitania dos Portos. Por isso é que no vencimento do CSN a embarcação é retirada de operação.
Com investimentos de R$ 91 milhões para este ano, a DERSA prevê melhorias e agilidade na travessia Santos-Guarujá até dezembro. Serão reformadas 14 balsas que atendem os litorais norte, centro e sul, além da realização de reformas dos estaleiros de Vicente de Carvalho e Guarujá e da Carreira de Iguape, da construção e reforma de gavetas do atracadouro de Santos e da construção de 12 dolfins no litoral Sul e flutuante em Bertioga. Trata-se do maior investimento da DERSA nos últimos quatro anos no sistema travessias. O objetivo é melhorar o serviço prestado e dar maior segurança ao usuário. Em 2010 foram investidos R$ 41 milhões, contra R$ 29 milhões de 2009 e R$ 5,9 milhões do período anterior.

Após a reforma das embarcações e também a conclusão dos outros investimentos previstos para 2011, o usuário terá um ganho no tempo de espera na travessia Santos-Guarujá. Hoje, no horário de pico, de maior movimento, a espera é de 29 minutos em média por causa da reforma. Em dezembro, início do verão e temporada de férias, essa espera baixará para 22 minutos para embarcar. Com o início de operação da terceira gaveta de Santos haverá redução do tempo médio de travessia em 10%. A entrega está prevista para dezembro.

Para 2012 está sendo projetado investimento de R$ 80 milhões no sistema. Isso vai proporcionar, por exemplo, a construção de três balsas com capacidade para 62 veículos, além de duas lanchas para 400 passageiros. A entrega é prevista para novembro de 2012. Essas aquisições irão renovar a idade média da frota de 37 para 28 anos. No próximo ano também serão reformadas três balsas e realizadas obras civis de melhorias no sistema.

Para atender a demanda na travessia enquanto é feito esse trabalho para a certificação e validação, a DERSA transferiu duas embarcações para o trajeto Santos-Guarujá. Trata-se da FB-21, com capacidade para 28 veículos, vinda de Bertioga, e a FB-12, com capacidade para 24 veículos, vinda de Cananéia. Assim, o trajeto continua sendo atendido por sete embarcações nos momentos de pico.

É importante destacar que atualmente está sendo renovado o Certificado de Segurança de Navegação (CSN) das embarcações, que tem validade de quatro anos. Dentro desse período são executadas manutenções programadas e vistorias de rotina. Porém, ao final do período de quatro anos, há a necessidade de um reforma geral das embarcações devido ao ritmo de trabalho a que elas são submetidas e também ao desgaste natural provocado pelo mar.


Com R$ 91 milhões, sistema terá mais segurança e agilidade após reforma de embarcações, diminuindo o tempo de espera no horário de pico


Com investimentos de R$ 91 milhões para este ano, a DERSA prevê melhorias e agilidade na travessia Santos-Guarujá até dezembro. Serão reformadas 14 balsas que atendem os litorais norte, centro e sul, além da realização de reformas dos estaleiros de Vicente de Carvalho e Guarujá e da Carreira de Iguape, da construção e reforma de gavetas do atracadouro de Santos e da construção de 12 dolfins no litoral Sul e flutuante em Bertioga. Trata-se do maior investimento da DERSA nos últimos quatro anos no sistema travessias. O objetivo é melhorar o serviço prestado e dar maior segurança ao usuário. Em 2010 foram investidos R$ 41 milhões, contra R$ 29 milhões de 2009 e R$ 5,9 milhões do período anterior.

Após a reforma das embarcações e também a conclusão dos outros investimentos previstos para 2011, o usuário terá um ganho no tempo de espera na travessia Santos-Guarujá. Hoje, no horário de pico, de maior movimento, a espera é de 29 minutos em média por causa da reforma. Em dezembro, início do verão e temporada de férias, essa espera baixará para 22 minutos para embarcar. Com o início de operação da terceira gaveta de Santos haverá redução do tempo médio de travessia em 10%. A entrega está prevista para dezembro.

Para 2012 está sendo projetado investimento de R$ 80 milhões no sistema. Isso vai proporcionar, por exemplo, a construção de três balsas com capacidade para 62 veículos, além de duas lanchas para 400 passageiros. A entrega é prevista para novembro de 2012. Essas aquisições irão renovar a idade média da frota de 37 para 28 anos. No próximo ano também serão reformadas três balsas e realizadas obras civis de melhorias no sistema.

Para atender a demanda na travessia enquanto é feito esse trabalho para a certificação e validação, a DERSA transferiu duas embarcações para o trajeto Santos-Guarujá. Trata-se da FB-21, com capacidade para 28 veículos, vinda de Bertioga, e a FB-12, com capacidade para 24 veículos, vinda de Cananéia. Assim, o trajeto continua sendo atendido por sete embarcações nos momentos de pico.

É importante destacar que atualmente está sendo renovado o Certificado de Segurança de Navegação (CSN) das embarcações, que tem validade de quatro anos. Dentro desse período são executadas manutenções programadas e vistorias de rotina. Porém, ao final do período de quatro anos, há a necessidade de um reforma geral das embarcações devido ao ritmo de trabalho a que elas são submetidas e também ao desgaste natural provocado pelo mar.

A DERSA procura combinar o período desta parada de manutenção - que dura aproximadamente cinco meses - exatamente com o vencimento do CSN. É importante destacar que a renovação só é fornecida após a reforma geral da embarcação e da vistoria detalhada por parte da Capitania dos Portos. Por isso é que no vencimento do CSN a embarcação é retirada de operação.

Salvar